Para cada unicórnio vendido, 5 startups brasileiras vão para Série A

Essa semana, parece uma semana comum para você, certo?

Pois bem. Na segunda feira abro o e-mail e me deparo com o “Microsoft compra LinkedIn por U$26 bilhões (em cash)”. E realmente é algo de se ficar de boca aberta. Pelo valor, pelo comprador e também porque é mais um unicórnio que consegui fazer o “serviço” completo de empreendedor: fundou, validou, cresceu, captou e vendeu. Não há um ciclo mais completo do que esse.

linkedin microsoft
Felicidade tem um nome: U$26 bilhões (em dinheiro). Foto: LinkedIn

Não muito longe o Twitter vai lá e faz investimento de U$70 milhões no SoundCloud.

Pareciam fatos isolados, mas estamos numa semana atípica mesmo. Especialmente para o empreendedor brasileiro.

Sabe por quê? Olha aí:

1. Movile investe R$13 milhões na plataforma de eventos Sympla;

2. BankFacil, fintech paulista, recebe aporte de R$15 milhões da Kaszek Ventures;

3. Samba Tech abre escritório em Seattle com apoio da Microsoft e lança novo produto (o Kast);

4. SP Ventures investe R$3,5 milhões na startup Lupeon, de gestão de fretes;

5. Para fechar, o e-Bricks levantou novo fundo, agora de R$300 milhões, que serão investidos em fintechs e educação, prioritariamente.

Se essa intersecção de timming virar regra, vamos torcer que, para cada unicórnio vendido, 5 startups brasileiras consiga fazer uma Série A.

Diante de tanta notícia ruim na política, na economia e no país como um todo, tivemos uma semana de validações por aqui. Tem gente seguindo fortemente, independente da situação.

Por favor, não parem.