O correio, a telefonica e a locadora.

Quando era pequeno e alguém falava perto de mim: “nossa como o tempo está passando rápido”, eu pensava que aquilo era um exagero, já que toda criança têm a ansiedade necessária para não entender que ser adulto é ter um milhão de problemas. Então na prática, poucas crianças sentem esse fenômeno que é a falta de tempo.

Sempre procuro provocar as discussões (com gente que não trabalha com tecnologia) sobre qual velocidade o futuro chegará entre nós, de forma impactante novamente, eu relembro que temos pouco tempo com a gente: a internet, por exemplo, que é até então, a revolução mais importante dos últimos anos. Fato é que, na velocidade que as coisas andam, as próximas rupturas já estão por vir. Olha três delas aqui:

Inteligência artificial (aqui estou falando de robôs fazendo o que você faz);

Thinking Robot --- Image by © Blutgruppe/Corbis

Descentralização do dinheiro (bancos nem governos poderão mandar no dinheiro);

bitcoins
Bitcoins are accepted in this café in Delft in the Netherlands as of 2013 – Wikipedia

Realidade virtual (já estamos presenciando).

realidade-virtual

Faça esse exercício. Pergunte para alguém sobre essas três coisas que vão acontecer (e que já estão acontecendo) e trace uma linha do tempo com ela: 5 anos, 10 anos e etc. Pegue o feedback dela.

Assim, como as crianças, para essa analogia de análise de tempo, pensar em carros voando, robôs fazendo nosso trabalho e instalar uma Matrix na nossa vida, parecem coisas tão longe, que algumas pessoas ainda arriscam dizer que não viverão, para ver esse tipo de coisa acontecer.

A indústria fonográfica e cinematográfica ruíram pós revolução digital em pouco menos de 10 anos. Daqui para frente as rupturas se darão em espaços menores de tempo. “Locadoras de vídeo são história.”

O correio, a telefonica e a locadora.

A cegueira de empresas consolidadas é em alguns aspectos, gigante. As empresas de telefonia podem morrer? Sim. Os Correios tiveram sua origem no Brasil em 25 de janeiro de 1663. Estamos falando de uma empresa com mais de centenas de anos que está prestes a se desintegrar, pelo que tudo indica.

Seguindo a teoria de que “Startups Matam”, um dos capítulos mais legais do Economia do Acesso, os Correios, anunciaram na semana passada que vai precisar de um empréstimo grande (gigante na verdade). No ano passado o rombo da empresa foi de R$2 bilhões. Nesse ano, já estão no vermelho em R$700 milhões. Será o início do fim?

correios
Foto: Reprodução Correios

 

 

 

 

 

 

 

 

E o pior, do conselho da empresa até os diretores, somente um deles tem experiência em logística. Levando em consideração a capacidade do governo brasileiro em aniquilar empresas estatais e a consolidação de rupturas citadas acima:

“Os Correios e as telefonicas (teles) terão quanto tempo de vida mais?”

  • Juliana Gregorini Montez

    Isso porque são um monopólio para alguns serviços. A verdade é que são uma máquina tão grande que é difícil de se mexer… Com esse novo governo e a onda de privatizações, quem sabe não seja o próximo target?